GM anuncia trabalhadores excedentes e não descarta demissões

A General Motors confirmou hoje que está com 600 trabalhadores excedentes na fábrica de São José dos Campos, no Vale do Paraíba e pretende fazer ajustes ao quadro de funcionários. A empresa abriu o quarto Plano de Demissão Voluntária (PDV) do ano e não descartou demissões. A informação foi transmitida a representantes do Sindicato dos Metalúrgicos em uma reunião realizada na tarde de hoje. Em seguida, os trabalhadores votaram, em assembléia, a "guerra às demissões" e o estado de greve. Segundo o vice-presidente da GM do Brasil, José Carlos Pinheiro Neto, a medida é necessária para que o quadro de funcionários seja ajustado à realidade da empresa. Dois fatores foram apresentados pela GM como justificativa: o encerramento das atividades do setor de fundição, transferido para a Teksid, em Minas Gerais e a alta do dólar, que prejudicou as exportações das pick-ups S10. Segundo o sindicato esta é a quarta vez, neste ano, que a empresa abre o PDV. Nos últimos três teria conseguido a adesão de apenas 60 metalúrgicos. A fábrica de São José dos Campos tem 10.500 trabalhadores e produz, além de S10 e Blazer, os modelos Corsa, Meriva e Zafira.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.