GM demite mais 2 mil e corta produção em 14 unidades

'Isso mostra o tamanho das incertezas e quão ruim está o mercado', comenta analista sobre anúncio

Ana Conceição, da Agência Estado,

26 de janeiro de 2009 | 14h09

A General Motors anunciou nesta segunda-feira, 26, a demissão de mais duas mil pessoas no segundo trimestre e o fechamento por uma semana, ou mais, de 14 das 24 unidades de montagem na América do Norte, durante o segundo e o terceiro trimestres.  Veja também:Desemprego, a terceira fase da crise financeira global De olho nos sintomas da crise econômica Dicionário da crise Lições de 29Como o mundo reage à crise  As demissões serão realizadas em uma unidade de montagem de carros pequenos em Ohio e na unidade que produz crossovers, como o Acádia e o Buick Enclave, em Michigan. "Isso mostra o tamanho das incertezas e quão ruim está o mercado", comentou o analista David Whiston, da Morningstar Inc.  "As empresas têm combinar produção com demanda e não há sentido em aumentar estoques e depois implorar para que os revendedores comprem mais carros", afirmou, acrescentando que foi ultrapassado o velho modelo de produzir em excesso e depois conceder muitos incentivos ao mercado. No ano passado, as vendas de veículos caíram nos Estados Unidos para níveis que não eram vistos desde a Segunda Guerra Mundial e o declínio deve continuar em 2009. A GM tem até o dia 31 de março para convencer o governo que a companhia é viável ou perderá o direito aos US$ 13,4 bilhões em empréstimos concedidos pelo governo dos EUA em dezembro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.