GM do Brasil dá licença remunerada a 900 funcionários

Prazo para retorno é fim de março; montadora anuncia perdas de US$ 9,6 bi no tri e Europa registra protestos

Agencia Estado

26 de fevereiro de 2009 | 09h25

A unidade brasileira da montadora norte-americana General Motors (GM) dará, a partir desta quinta-feira, 26, licença remunerada a 900 funcionários: 300 da produção da fábrica de São Caetano do Sul (SP) e 600 na unidade de São José dos Campos, para retorno no fim de março. Também vencem os contratos de um grupo de 1.633 trabalhadores temporários que estão em licença desde o mês passado. Vencem em média 50 contratos ao dia.Veja também: GM tem prejuízo de US$ 9,6 bi no quarto trimestre O Sindicato dos Metalúrgicos de São Caetano realizam, nos portões da fábrica, manifestação para reivindicar a renovação dos contratos. Na última sexta-feira, em reunião com sindicalistas, executivos do setor de Recursos Humanos informaram que a empresa deve dispensar a maioria dos temporários. "Disseram que o mercado de carros ainda não reagiu o suficiente para manter esse pessoal", disse o vice-presidente do sindicato, Francisco Nunes. Segundo ele, no máximo 30 pessoas contratadas para a área de manutenção deverão permanecer.

Tudo o que sabemos sobre:
demissõesGM

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.