finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

GM e Toyota brigam pela liderança mundial

GM ganha no 2.º trimestre, mas perde no semestre

O Estadao de S.Paulo

22 de julho de 2007 | 00h00

As fabricantes de automóveis Toyota e General Motors travam uma disputa apertada pela liderança do mercado mundial de automóveis. A Toyota, que havia ultrapassado a GM no primeiro trimestre, manteve a liderança no acumulado do semestre: vendeu 4,71 milhões de carros, enquanto a montadora americana vendeu 4,67 milhões. Levando-se em conta apenas os números do segundo trimestre, porém, a liderança foi da GM, com 2,41 milhões de carros, ante 2,37 milhões da Toyota.Com esses números, a GM dá mostras que, apesar da crise financeira da qual tenta se livrar com um rigoroso plano de reestruturação, não vai entregar facilmente a liderança que manteve por 76 anos. E pode se beneficiar nessa disputa pelo recente terremoto no Japão - a falta de peças obrigou a Toyota a suspender a produção em várias fábricas no país.As estratégias das duas empresas para chegar à liderança são diferentes. A Toyota vem crescendo muito no mercado americano, o maior do mundo. Uma década atrás, a GM tinha cerca de um terço do mercado americano, enquanto a Toyota mal chegava a 8%. Hoje, a GM detém 24% das vendas nos EUA, e a Toyota já chegou a uma participação de 15%.A GM, por sua vez, vê seu desempenho melhorar fora dos Estados Unidos. As vendas da empresa na América Latina, África e Oriente Médio subiram 19,7% no segundo trimestre, as da Ásia cresceram 8,2% e as da Europa, 4,7%. Nos EUA, as vendas caíram 7%. A Toyota mantém uma atitude prudente em relação à possibilidade de fechar o ano como a líder mundial. "Ler nos jornais que somos a número um nos faz correr o risco de ver nossos empregados se acomodarem", disse recentemente um diretor da companhia. Mesmo assim, os analistas dizem ser altamente improvável que a GM consiga evitar sua queda ao segundo lugar no ranking este ano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.