GM encerra joint venture com a Toyota

Empresas dividiram por 25 anos uma fábrica nos Estados Unidos

, O Estadao de S.Paulo

30 de junho de 2009 | 00h00

A General Motors anunciou que vai encerrar sua parceria de 25 anos com a japonesa Toyota Motor em Fremont, Califórnia, dizendo que as duas montadoras não conseguiram chegar a um acordo sobre qual produto será fabricado na unidade no futuro. A fábrica produz hoje o modelo Pontiac Vibe, que será descontinuado pela GM dentro de 60 dias, e o Toyota Corolla. Para a GM, a joint venture foi uma oportunidade de entrar em contato com o sistema de produção enxuto e com as práticas de operação alinhadas da Toyota, que desde então vêm sendo adotadas em todo o mundo. A Toyota, por sua vez, procurava na época do lançamento da joint venture a chance de testar seu sistema de produção com a força de trabalho norte-americana. O futuro da fábrica tornou-se incerto depois que a GM começou a fechar unidades e a manter apenas as operações essenciais, enquanto tenta se reestruturar sob supervisão do governo. No processo de concordata, a GM está vendendo marcas; a Pontiac será eliminada. A Toyota vinha respondendo por cerca de três quartos da produção da unidade na Califórnia. "Tivemos uma parceria muito positiva e benéfica com a Toyota nos últimos 25 anos, e continuamos abertos a oportunidades futuras de interesse mútuo", disse o presidente da GM na América do Norte, Troy Clarke. A fatia da GM na unidade será incluída entre os ativos da montadora que estão sendo vendidos no processo de concordata.OPELA General Motors pode assinar um novo memorando de entendimento com um ou mais interessados em uma participação na sua unidade alemã, a Opel, segundo o jornal britânico Financial Times, que citou uma pessoa próxima ao assunto. A belga RHJ International apresentou uma proposta melhorada, que a GM está avaliando muito seriamente e que pode resultar em um memorando de entendimento nos próximos dias, de acordo com a fonte ouvida pelo jornal britânico. No mês passado, a GM assinou um memorando de entendimento para vender uma fatia majoritária na Opel para a canadense Magna International. DOW JONES NEWSWIRES

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.