Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

GM Europa anuncia a funcionários corte de 10% nos custos

Plano da montadora deve incluir menos horas de trabalho e reduções de salários, mas não cortes de emprego

Nathália Ferreira, da Agência Estado,

27 de novembro de 2008 | 13h31

A GM Europa, parte da General Motors, pretende cortar os custos operacionais em pelo menos 10%, de acordo com uma carta do chefe da GM Europa, Carl-Peter Forster, aos funcionários, obtida pela Dow Jones. O plano deve incluir menos horas de trabalho e reduções de salários, mas não estão programados cortes de emprego. Veja também:De olho nos sintomas da crise econômica  Lições de 29Como o mundo reage à crise  Dicionário da crise   "Até o momento não consideramos mais demissões", escreveu Forster, embora tenha alertado que "se as condições de mercado na Europa continuarem se deteriorando, é provável que outras medidas sejam necessárias para assegurar a nossa sobrevivência". Ele disse ainda ser provável que as vendas de carro continuem em declínio. Os planos de redução de custos não estão diretamente ligados aos problemas da matriz GM. Eles são mais uma reação à desaceleração da indústria automotiva na Europa e à queda no lucro, disse Forster.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.