GM informa aposentados sobre redução de benefícios

Movimento para cortar benefícios enfrenta oposição de grupo de aposentados que está contestando os cortes

AE-DJ,

09 de junho de 2009 | 17h35

A General Motors vai reduzir mais os benefícios que concede aos altos executivos aposentados da companhia e seus dependentes, de acordo com uma carta enviada pela empresa aos ex-funcionários. "Essas são mudanças muito difíceis de serem feitas, mas infelizmente são necessárias para posicionar a Nova GM para vencer - e vencer agora", disse o executivo-chefe, Fritz Henderson, em uma mensagem para os aposentados.

 

Veja também:

linkGM nomeia ex-executivo da AT&T como chairman da 'Nova GM'

linkVeja a cronologia da General Motors

linkVeja detalhes do pedido de concordata da Chrysler

linkAcompanhe a trajetória da Chrysler até o pedido de concordata

linkConheça o perfil da montadora norte-americana

 

A GM não vai mais fornecer cobertura oftalmológica e dentária para os ex-funcionários e apenas a cobertura médica e de remédios prescritos vai continuar. O seguro de vida também será reduzido. Os aposentados vão receber o seguro no valor de metade de seu salário anual base, menos que os 75% do salário que recebiam.

 

O movimento da GM para cortar benefícios enfrenta a oposição de um grupo de aposentados que está contestando os cortes e pedindo representação separada no tribunal que supervisiona a concordata da montadora. O tribunal vai realizar uma audiência no dia 25 de junho para estudar se aceita o pedido da associação de aposentados para nomear um comitê para negociar com a GM e proteger os direitos dos ex-funcionários.

 

Na reorganização da GM, os aposentados representados pelo sindicato United Auto Workers (UAW) vão continuar tendo seus benefícios financiados, mas eles podem sofrer reduções substanciais. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
General Motors

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.