coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

GM pede ajuda do governo e de sindicato no Canadá

A General Motors pediu ao governo e ao sindicato que reúne os trabalhadores do setor automotivo do Canadá (Canadian Auto Workers) que lhe ajudem a compensar os custos crescentes com funcionários aposentados. A montadora norte-americana não especificou a quantidade de recursos que precisa, mas quer que o governo dê ajuda para cobrir obrigações com pensão e que o sindicato assuma a responsabilidade pela assistência médica para os aposentados, como fez o sindicato United Auto Workers nos EUA. Em troca, a montadora afirmou que continuará fabricando carros e caminhões no Canadá. "Apesar da deterioração adicional do mercado norte-americano, o plano de reestruturação permite a viabilidade no longo prazo e possibilita que a GM Canadá pague os contribuintes canadenses", informou a companhia. Em entrevista coletiva, o ministro das Indústrias do Canadá, Tony Clement, disse que a montadora indicou que quer um empréstimo na faixa de 6 bilhões a 7 bilhões de dólares canadenses (US$ 4,8 bilhões a US$ 5,6 bilhões), enquanto a Chrysler quer algo em torno de 1 bilhão de dólares canadenses. As informações são da Dow Jones.

AE, Agencia Estado

20 de fevereiro de 2009 | 20h25

Tudo o que sabemos sobre:
criseGMCanadá

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.