coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

GM planeja cortar 600 empregos em fábrica no norte do México

Medida da companhia é para ajustar os níveis de produção à baixa demanda, em meio à crise econômica global

Danielle Chaves, da Agência Estado

05 de fevereiro de 2009 | 18h07

A montadora norte-americana General Motors  planeja cortar 600 empregos na fábrica de Ramón Arizpe, no norte do México, para ajustar os níveis de produção à baixa demanda, em meio à crise econômica global. "Por causa do ambiente econômico, houve uma redução nas encomendas por carros tanto no nível local como no mercado de exportação", disse Antonio Sanchez, um porta-voz da GM no México, à agência Dow Jones.  Veja também:De olho nos sintomas da crise econômica Dicionário da crise Lições de 29Como o mundo reage à crise  Sanchez afirmou que os funcionários serão cortados neste mês e no próximo, deixando a fábrica com cerca de 4 mil trabalhadores. A unidade de Ramón Arizpe, que é uma das quatro que a GM possui no México, produz o compacto Chevrolet Chevy e os veículos esportivos utilitários (SUVs) Saturn Vue, Chevrolet HHR e Chevrolet Captiva Sport. Segundo Sanchez, a companhia fará os cortes em Ramón Arizpe por causa da orientação da fábrica para a produção de SUVs, que têm sido particularmente difíceis de vender desde o pico dos preços da gasolina, no ano passado, e do aprofundamento da crise econômica. Não há números disponíveis sobre produção da fábrica, mas, de acordo com a associação automobilística local, a AMIA, a GM foi a líder em produção de automóveis no México em 2008. A montadora produziu 508.748 unidades, incluindo caminhões leves, no país no ano passado - um aumento de 8,8% em relação a 2007, segundo a AMIA. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
GMcrise nos EUAcrise internacional

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.