Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

GM quer vender nos EUA carros produzidos na China

Montadora submeteu um plano ao Congresso norte-americano que prevê a importação de veículos em 2011

AE-DJ,

13 de maio de 2009 | 16h40

A General Motors planeja iniciar a importação de veículos produzidos em suas unidades na China para os Estados Unidos a partir de 2011, de acordo com um plano submetido pela montadora ao Congresso norte-americano.

 

A GM fabrica veículos na China para vender no mercado asiático e agora quer, pela primeira vez, exportar alguns deles para os EUA e, assim, economizar nos custos de produção. A montadora planeja embarcar 17.355 veículos produzidos em suas unidades chinesas para os EUA em 2011. No ano seguinte, esse número deve saltar para 38 mil e, em 2013 para 53 mil. A importação de outros países como Coreia do Sul, Japão e México também poderá ser incrementada.

 

O United Auto Workers (UAW), sindicato dos trabalhadores, é contra o plano e argumentou que a companhia, que está sobrevivendo graças a mais de US$ 15 bilhões de empréstimos fornecidos pelo governo norte-americano, não deveria usar o dinheiro dos contribuintes para financiar cortes de empregos no país. A GM planeja demitir 21 mil funcionários nos EUA.

 

O plano da montadora mostra que mesmo com as importações da China, a proporção do total de veículos importados com relação aos produzidos nos EUA continuaria a mesma até 2014. A GM estima que naquele ano, 66% de todos os veículos vendidos no país serão fabricadas em unidades norte-americanas, ante 67% em 2009. Tal estimativa é baseada na projeção que as vendas totais de veículos nos EUA alcançarão 16,8 milhões de unidades em 2014, número que alguns observadores consideraram otimista.

 

Os que apoiam a opinião do UAW temem que se essa estimativa não for realizada serão as unidades norte-americanas, e não as internacionais, que enfrentarão cortes de produção. Um porta-voz da GM não quis fazer comentários sobre o plano dizendo que a companhia está em negociações com o sindicato. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
GMChina

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.