Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

GM se aproxima de acordo com sindicato para cortar custos

Montadora quer cortar pela metade despesas com custos de saúde, para US$ 10 bi, afirma 'Wall Street Journal'

Marcílio Souza, da Agência Estado,

15 de maio de 2009 | 12h09

A General Motors está perto de um acordo para reduzir os custos com mão-de-obra em mais de US$ 1 bilhão por ano e cortar parte de seu compromisso com o sindicato United Auto Workers (UAW) de cobrir em US$ 20 bilhões as obrigações com seguro-saúde, disseram pessoas próximas do assunto. O plano ainda está em discussão, e o sindicato poderá finalizar os termos já na próxima semana, informou o Wall Street Journal.

 

Veja também:

especialAs medidas do Brasil contra a crise

especialAs medidas do emprego

especialDe olho nos sintomas da crise econômica 

especialDicionário da crise 

especialLições de 29

especialComo o mundo reage à crise

 

A GM espera reduzir à metade sua contribuição em dinheiro para os custos de saúde, para US$ 10 bilhões, e complementar com uma fatia de 39% no grupo reorganizado, disseram fontes próximas do assunto. A montadora recusou-se a comentar o assunto e o porta-voz do UAW, cujos membros precisam aprovar o acordo, não foi encontrado.

 

A montadora norte-americana também disse que vai notificar nesta sexta-feira 1,1 mil concessionárias de que os acordos de franquia delas com a fabricante de veículos não serão renovados, segundo fontes próximas do assunto. As concessionárias afetadas pela decisão serão informadas por telefone ou carta.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.