GM se compromete a não tomar decisão sobre demissões até dia 4 de agosto

Montadora suspendeu a produção e deu dispensa remunerada a todos os funcionários da fábrica de São José dos Campos (SP), levantando o temor de demissões

Wladimir D'Andrade, da Agência Estado,

25 de julho de 2012 | 17h38

SÃO PAULO - Sindicalistas e representantes da General Motors deixaram a reunião realizada hoje na prefeitura de São José dos Campos (SP) com o compromisso de elaborarem propostas que evitem o esvaziamento da fábrica na cidade e evitem a demissão de 1.500 funcionários. As duas partes voltam a se reunir no dia 4 de agosto, às 11 horas, e até lá a montadora se comprometeu a não tomar nenhuma decisão em relação a dispensas, de acordo com assessores da montadora e do sindicato.

Na madrugada de ontem a GM suspendeu a produção e deu dispensa remunerada a todos os funcionários, levantando o temor de demissões. A montadora não divulgou nenhuma informação a respeito de corte de funcionários e alegou que a dispensa se deu para proteger os empregados. O sindicato local classificou a atitude da empresa como locaute.

A GM de São José dos Campos produz os modelos Corsa, Classic, Meriva, Zafira e S10, além de motores e kits para exportação. Hoje a fábrica de São José deixa de produzir o modelo Corsa. Nesta linha, a chamada MVA, trabalham 1.500 funcionários. A montadora também já encerrou a produção do Zafira que, junto com o Meriva, está sendo substituída pela minivan Spin. Este modelo, no entanto, está sendo fabricado na unidade de São Caetano do Sul.

Tudo o que sabemos sobre:
GMdemissõessao jose dos campos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.