GM tem até hoje para explicar caso Corsa

Vence hoje o prazo para a General Motors (GM) apresentar ao Procon as informações oficiais sobre os problemas que levaram a montadora a anunciar o recall dos modelos Corsa fabricados no Brasil entre 1994 e 1999. A empresa foi notificada pelo Procon e terá que explicar a demora em anunciar publicamente o defeito de fabricação, o que poderia ter evitado acidentes. "Após lançar um produto com defeito, a empresa é obrigada a avisar a todos os compradores e a reparar os problemas decorrentes do erro", explica Marco Dieguer, gerente de serviços do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec). Conforme o artigo 64 do Código de Defesa do Consumidor (CDC), a empresa tem a obrigação legal de informar a detecção de defeitos em seus produtos. Caso não faça isso, pode ser responsabilizada.Segundo a diretora executiva do Procon, Maria Inês Fornazaro, o órgão de defesa do consumidor está aguardando a documentação da GM para avaliar o caso. A partir daí, será decidido o posicionamento da instituição. "O Procon vai avaliar a gravidade do problema, considerando o número de pessoas atingidas e o dano causado à sociedade", esclarece. Maria Inês diz que a possibilidade de multa existe, mas não é a única. "Podemos optar por uma ação coletiva ou outro tipo de sanção, o que também dependerá dos dados levantados. Entretanto, caso seja estipulada uma multa, ela levará em consideração o poder econômico da montadora".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.