Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

GM vai iniciar pagamento de empréstimos ao governo dos EUA

Montadora pretende pagar parte do dinheiro retirado dos contribuintes três anos do prazo previsto

AP

16 de novembro de 2009 | 04h06

A General Motors (GM) vai anunciar nesta segunda-feira, 16, que pretende pagar 13% dos US$ 52 bilhões ao governo norte-americano que investiu na montadora e tornou se dono de 61% do capital. A fabricante de automóveis pretende iniciar o pagamento de US$ 6,7 bilhões ao governo até o final de 2009, ou seja, três anos antes do previsto, 2011. O anúncio será feito nesta em conjunto com a divulgação dos resultados do 3ºtrimestre do ano.

 

A GM que saiu da bancarrota tornando-se uma nova empresa de capital fechado em 10 de julho, espera vender ações ao público no final de 2010, de modo que o governo norte-americano e os contribuintes possam recuperar parte do montante de dinheiro investido. Porém, o escritório de contabilidade do governo apresentou um relatório no início deste mês apontou que a GM tem que recuperar o valor de US$ 80 bilhões para que o empréstimo seja reembolsado por completo.

 

O plano da montadora é fazer pagamentos trimestrais de US$ 1 bilhão ao governo dos Estados Unidos e US$ 200 milhões ao governo do Canadá, que deve US$ 1,4 bilhão, já no final deste ano. O prazo da dívida se encerra em meados de 2011. A companhia vai aproveitar cerca de US$ 13 bilhões que permanece depositado em juízo pelo governo para auxiliar nos pagamentos.

 

"A GM pode pagar os seus empréstimos? Pode apostar", diz o presidente da General Motors, Ed Whitacre, se comprometendo a pagar os empréstimos aos governos dos dois países que se tornaram acionistas para salvar a montadora norte-americana da falência.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.