GM vai iniciar pagamento de empréstimos ao governo dos EUA

Montadora pretende pagar parte do dinheiro retirado dos contribuintes três anos do prazo previsto

AP

16 de novembro de 2009 | 04h06

A General Motors (GM) vai anunciar nesta segunda-feira, 16, que pretende pagar 13% dos US$ 52 bilhões ao governo norte-americano que investiu na montadora e tornou se dono de 61% do capital. A fabricante de automóveis pretende iniciar o pagamento de US$ 6,7 bilhões ao governo até o final de 2009, ou seja, três anos antes do previsto, 2011. O anúncio será feito nesta em conjunto com a divulgação dos resultados do 3ºtrimestre do ano.

 

A GM que saiu da bancarrota tornando-se uma nova empresa de capital fechado em 10 de julho, espera vender ações ao público no final de 2010, de modo que o governo norte-americano e os contribuintes possam recuperar parte do montante de dinheiro investido. Porém, o escritório de contabilidade do governo apresentou um relatório no início deste mês apontou que a GM tem que recuperar o valor de US$ 80 bilhões para que o empréstimo seja reembolsado por completo.

 

O plano da montadora é fazer pagamentos trimestrais de US$ 1 bilhão ao governo dos Estados Unidos e US$ 200 milhões ao governo do Canadá, que deve US$ 1,4 bilhão, já no final deste ano. O prazo da dívida se encerra em meados de 2011. A companhia vai aproveitar cerca de US$ 13 bilhões que permanece depositado em juízo pelo governo para auxiliar nos pagamentos.

 

"A GM pode pagar os seus empréstimos? Pode apostar", diz o presidente da General Motors, Ed Whitacre, se comprometendo a pagar os empréstimos aos governos dos dois países que se tornaram acionistas para salvar a montadora norte-americana da falência.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.