GO Associados: governo poderia adiar aumento dos juros

O economista e sócio-diretor da GO Associados Gesner Oliveira afirmou nesta segunda-feira que o governo poderia adiar o aumento na taxa básica de juros na reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), nesta quarta-feira (17), e fazer uma reavaliação do cenário inflacionário antes de um acréscimo da Selic, atualmente em 7,25% ao ano. "A probabilidade maior é para uma pequena elevação conjuntural (de 0,25 ponto porcentual) agora. Mas o governo pode adiar, reavaliar e fazer, possivelmente, uma alta maior (de 0,50 pp) em maio", disse Oliveira, à Agência Estado.

GUSTAVO PORTO, Agencia Estado

15 de abril de 2013 | 18h49

Em linha com o mercado, no entanto, ele avaliou que a alta na Selic ocorrerá em algum momento nos dois próximos meses, "num sinal de que o governo está realmente preocupado com a pressão inflacionária". Oliveira fez palestra sobre macroeconomia em seminário da Sociedade de Engenheiros da Mobilidade (SAE Brasil) e citou a pesquisa Focus, do Banco Central (BC), divulgada nesta segunda-feira, que aponta uma elevação para até 8,50% ao ano na Selic até o fim de 2013.

Ainda de acordo com o economista e sócio-diretor da GO Associados, a principal preocupação em uma análise da inflação é com o índice de difusão, com o crescimento da maioria dos preços. "Esse tipo de inflação coloca pressão para reindexação da economia. Isso gera apreensão para quem já passou por isso no passado", concluiu, citando o período de hiperinflação no Brasil.

Tudo o que sabemos sobre:
BCFocusGO Associados

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.