Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Goiânia é a cidade grande com gasolina mais barata

A cidade de Goiânia, capital de Goiás, tem os menores preços médios de gasolina para o consumidor entre as grandes cidades brasileiras, conforme a pesquisa de preços realizada pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP). Segundo a agência reguladora, a gasolina está sendo vendida este mês nos postos de abastecimento por R$ 2,253 por litro, cerca de 9,5% abaixo da média nacional, que está em R$ 2,487. Belo Horizonte vinha em seguida entre as cidades com preços menores. Na capital mineira, a gasolina está sendo comercializada por R$ 2,345 o litro, cerca de 6,7% abaixo da média nacional.Na outra ponta estão as cidades de Recife e Brasília, entre as grandes metrópoles nacionais onde os preços da gasolina estão acima da média nacional em agosto. Na capital de Pernambuco, o preço da gasolina está em torno de R$ 2,648. Esse patamar está cerca de 6,5% acima da média nacional. Na capital federal o combustível está sendo comercializado por R$ 2,582, ou o equivalente a 3,8% acima da média do País. Na capital paulista, o litro da gasolina custa R$ 2,384, em média, enquanto no Rio a média está em R$ 2,487, praticamente igual à média nacional.Além da gasolina, a cidade de Goiânia tem preços relativamente baixos para o álcool combustível. O litro do combustível está sendo comercializado na capital de Goiás por cerca de R$ 1,096, em média, praticamente igual aos preços praticados em Ribeirão Preto, maior produtor nacional de açúcar e álcool, onde o combustível está sendo vendido por cerca de R$ 1,047. Pelos dados da ANP, o álcool comercializado em Goiânia está cerca de 9,5% abaixo da média nacional, que está em R$ 1,381. Em São Paulo, o preço médio do álcool está em R$ 1,138, cerca de 6,4% abaixo da média nacional, enquanto no Rio de Janeiro o litro está sendo vendido por R$ 1,506, 10,6% acima da média nacional. Os preços mais caros do álcool combustível estão em Recife (R$ 1,580) e Salvador (R$ 1,559).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.