Fabio Motta/Estadão
Fabio Motta/Estadão

ESG

Coluna Fernanda Camargo: É necessário abrir mão do retorno para fazer investimentos de impacto?

Gol faz proposta de reorganização societária da Smiles com troca de ações

Acionistas minoritários da empresa de programa de fidelidade devem ter prêmio de 30% sobre valores atuais; usuários do sistema de milhagem não devem afetados

Luana Pavani e Fabiana Holtz, O Estado de S.Paulo

09 de dezembro de 2019 | 10h34
Atualizado 10 de dezembro de 2019 | 11h34

A Gol apresentou à sua controlada Smiles proposta de reorganização societária do grupo que prevê a incorporação das ações da empresa de programas de fidelidade pela companhia aérea, a fim de simplificar a estrutura acionária e assegurar competitividade de longo prazo, segundo fatos relevantes de ambas as empresas divulgados nesta segunda-feira, 9. 

De acordo com os termos propostos, cada ação ordinária da Smiles, ao fim da reorganização, representará 0,6319 ação preferencial da Gol e R$ 16,54; ou 0,4213 ação PN e R$ 24,80. Para determinar a relação de troca, foram considerados os valores de R$ 39,25 para a ação da Gol e R$ 41,34 para a ação da Smiles, de acordo com a companhia aérea.

Os papéis da Smiles dispararam na Bolsa nesta segunda. Por volta das 12h40, as ações ON tinham alta de 18,49%. As da companhia aérea subiam 4%.

Os acionistas minoritários da Smiles serão beneficiados na proposta de reorganização, segundo o vice-presidente Financeiro e de Relações com Investidores da aérea, Richard Lark. "A transação representa prêmio significativo, de 30%, sobre preço atual para acionistas da Smiles, além de prêmio de 13% sobre o preço-alvo para os próximos 12 meses", disse executivo durante teleconferência com investidores, analistas e jornalistas.

Somado ao prêmio, Lark ressalta como benefício para os minoritários da Smiles a opção de escolha entre duas alternativas de pagamento prevista na proposta. "Assim, os minoritários terão participação no valor criado pela reorganização. O maior alinhamento de interesses do grupo é outro ponto que deve ter reflexos positivos para os minoritários. Também esperamos um maior volume de negociação na Bolsa", acrescentou.

A Gol solicitou que a administração da Smiles realize reunião do Conselho de Administração para tomar conhecimento dos termos da reorganização.

Também pediu à Smiles a contratação de empresa avaliadora até 18 de dezembro, conclusão de laudos de avaliação até, aproximadamente, 23 de janeiro de 2020 e agendamento de assembleia-geral da Smiles para decidir sobre a reorganização no dia 2 de março de 2020.

A companhia aérea espera concluir a operação até meados de abril de 2020. "Esperamos ter liquidado a operação até 13 de abril", disse Lark.

"A reorganização tem por objetivo assegurar a competitividade de longo prazo do grupo, através do alinhamento de interesses de todos os 'stakeholders', reforçando uma estrutura de capital consolidada, simplificando a governança societária do grupo, reduzindo custos e despesas operacionais, administrativas e financeiras", afirmou a Gol. 

A companhia aérea também argumentou que a alteração aumentará a liquidez no mercado para todos os acionistas, “além de permitir uma oferta de produtos e serviços melhor coordenada, sendo que todos estes benefícios são necessários para que o produto Smiles seja mais competitivo no cenário de mercado desafiador que observamos no momento.” 

Programa de milhagem não deve ser afetado

O presidente da Gol, Paulo Kakinoff, afirmou que a reorganização societária da Smiles não terá impactos para o usuário do programa de milhagens. "Não há perspectiva de qualquer mudança para o cliente Smiles. Zero", afirmou o executivo durante teleconferência.

Segundo Kakinoff, a transação deve ampliar a capacidade de geração de caixa do grupo, fortalecendo sua posição financeira, além de assegurar a competitividade de longo prazo.

Entre os benefícios da operação para os acionistas da Gol, o executivo destacou também a eliminação de distorções e ineficiências tributárias, a realização de sinergias, redução de custos e despesas operacionais e financeiras, bem como a simplificação da governança operacional e societária do grupo.

A aérea estima um aumento do lucro por ação pro forma de R$ 0,40 para 2020, assumindo a emissão de 24,8 milhões de ações PN da Gol (considerando a segunda opção de pagamento apresentada aos minoritários da Smiles). / COM REUTERS

Tudo o que sabemos sobre:
GOL Linhas Aéreas InteligentesSmiles

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.