Gol planeja mais dois destinos na América do Sul

A Gol Linhas Aéreas Inteligentes espera chegar ao fim do ano que vem com operações em pelo menos mais dois destinos na América do Sul. "Tudo depende dos acordos bilaterais. Se houver espaço começamos por Santiago, que é o segundo maior mercado sul-americano", contou o diretor-presidente da companhia, Constantino Oliveira Junior.Outras capitais na mira mais próxima da Gol são as do cone Sul, Montevidéu e Assunção, já que em dezembro próximo a empresa inicia vôos regulares para Buenos Aires. "A operação na capital argentina mostrou viabilidade no planejamento, esperamos que isso se confirme."O executivo recusou-se a antecipar outros detalhes de prazo para a expansão dos negócios na América do Sul, embora também tenha mencionado Venezuela, Bolívia, Equador e Peru como possibilidades.A Gol elevou seu quadro de 2,6 mil para quase 3 mil funcionários, com contratações ao longo de julho e agosto, entre tripulação técnica, comercial, de aeroportos e manutenção. Além da contratação, o período também absorveu custos com o treinamento de pessoal, disse Constantino Junior.QueroseneO querosene de aviação tem sofrido reajustes sistemáticos e quinzenais, já que a Petrobras tem repassado para o combustível os aumentos da cotação do barril de petróleo, de acordo com o presidente da Gol. "Trata-se de uma realidade, o petróleo subiu e foi repassado. Imaginamos que quando o petróleo cair, o querosene cairá."Conforme relatório da companhia, durante o terceiro trimestre, os preços dos combustíveis representaram um aumento de R$ 2,7 milhões nas despesas operacionais, que foram parcialmente compensadas por um ganho não operacional do hedge de combustíveis de R$ 2,4 milhões.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.