Gol tem prejuízo de R$ 2,5 bi no 1º trimestre e anuncia aumento de capital

Gol tem prejuízo de R$ 2,5 bi no 1º trimestre e anuncia aumento de capital

Com queda na demanda em março, a companhia reduziu em 10% os voos diários em relação ao quarto trimestre de 2020

Juliana Estigarríbia, O Estado de S.Paulo

29 de abril de 2021 | 13h04

A Gol registrou um prejuízo líquido de R$ 2,52 bilhões no primeiro trimestre do ano, ante resultado negativo de R$ 2,28 bilhões em igual intervalo do ano passado, segundo balanço divulgado nesta quinta-feira, 29. O desempenho se deve principalmente ao agravamento da crise da covid-19 no mês de março. No período, o endividamento da companhia foi às alturas.

Em relatório financeiro, a companhia reportou total de empréstimos e financiamentos de R$ 19 bilhões (incluindo arrendamentos) nos três primeiros meses do ano e uma dívida líquida de R$ 14,8 bilhões. 

Com esse resultado, o aporte de capital de até R$ 512 milhões liderado pelos acionistas controladores, anunciado na quarta-feira, 28, ganha ainda mais importância diante do turbulento cenário para os próximos meses.

O desempenho divulgado nesta quinta se deve à queda significativa da demanda. No trimestre, a Gol informou ter reduzido as operações diárias em 10% em relação ao quarto trimestre de 2020, oferecendo em média 364 voos por dia de janeiro a março de 2021. O volume representa 53% da frequência diária do primeiro trimestre de 2020.

No entanto, o presidente da empresa, Paulo Kakinoff, destacou no balanço financeiro que o pico da crise da covid-19 está passando. "Desde o início da pandemia, a companhia mantém a agilidade necessária para ajustar sua oferta de acordo com as oscilações de demanda. Felizmente, já estamos constatando um declínio promissor nessa segunda onda de casos de covid-19", disse o executivo. "A Gol tem observado a correspondente retomada da recuperação das vendas de passagens ao longo das últimas semanas."

Segundo Kakinoff, o governo brasileiro tem sido bem-sucedido na aquisição de vacinas. Com isso, a companhia espera uma retomada dos voos similar à do mercado norte-americano após a vacinação em massa da população. 

A companhia informou ter transportado 4,4 milhões de clientes no primeiro trimestre, queda de 46,1% na comparação anual. A Gol registrou uma queda de 43,8% da demanda no primeiro trimestre, medida pelo número de passageiro-quilômetro transportado pago (RPK, no jargão do setor), totalizando 5,6 bilhões.

A receita líquida trimestral da Gol foi fortemente afetada, atingindo R$ 1,6 bilhão, queda de 50,2% quando comparada ao mesmo período de 2020. Para o segundo trimestre, a companhia estima uma queda de aproximadamente 35% da receita sobre o reportado de janeiro a março. Se confirmado, o desempenho vai no sentido oposto ao projetado pelas empresas em março, pico da crise de 2021, e atrasará em mais alguns meses a plena recuperação do setor.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.