Goldman Sachs deve cortar até 15% da força de trabalho--jornal

O banco de investimentosnorte-americano Goldman Sachs planeja reduzir em até 15 porcento sua força de trabalho, de acordo com reportagem publicadaem um jornal nova-iorquino, nesta sexta-feira. Citando fontes próximas das decisões do banco, o jornal NewYork Post informou que os cortes devem ocorrer na divisão demercados de capitais, que inclui operações de investimento,dívida, subscrição de ações e consultoria para fusões. Não foi possível contatar representantes do Goldman Sachspara comentar a notícia. Os cortes irão se somar a dispensas que já haviam sidoanunciadas pelo grupo em janeiro, disse o jornal. Naquele mês,o Goldman, que emprega aproximadamente 32 mil pessoas, disseque reduziria seu quadro de funcionários em 5 por cento. Instituições financeiras dos Estados Unidos têm eliminadomilhares de postos de trabalho desde meados de 2007, em meio aoalastramento de uma crise relacionada a crédito que começou nosetor imobiliário e se expandiu para outras áreas.No início da semana, o Goldman divulgou resultados trimestrais,que mostraram queda de 53 por cento no lucro, devido a perdasno período de 2,5 bilhões de dólares com empréstimos e outrosativos. Na quinta-feira, o Citigroup, maior banco norte-americano,informou que cortará mais 2 mil postos de trabalho nas áreas debanco de investimentos e de trading para reduzir custos depoisde grandes perdas relacionadas à crise.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.