Lucas Jackson/Reuters
Lucas Jackson/Reuters

Goldman Sachs prevê 5 altas de juros nos EUA este ano

A previsão era que as altas fossem vistas em 2022 em quatro ocasiões; aumentos começam em março

Agências, Reuters

29 de janeiro de 2022 | 12h19

O banco Goldman Sachs espera que o Federal Reserve (o banco central dos EUA) aumente as taxas de juros no país cinco vezes em 2022, contra quatro altas previstas anteriormente. O primeiro aumento é esperado já em março, segundo nota divulgada pelos economistas da instituição na última sexta-feira, 28.

Os economistas correram para atualizar suas previsões para o aumento de juros nos EUA depois que o Fed informou, na quarta-feira, 26, que provavelmente fará um aumento em março, no que o presidente do Fed, Jerome Powell, prometeu ser uma batalha sustentada para domar a inflação.

Na conclusão da reunião de quarta-feira, Powell afirmou que uma decisão será tomada nos próximos meses sobre quando começar a reduzir a oferta de títulos do governo e títulos lastreados em hipotecas. Os economistas do Goldman David Mericle e Jan Hatzius disseram, na nota, que esperam que o Fed aumente as taxas em março e maio e anuncie o início de sua redução de balanço em junho, depois siga com aumentos em julho e setembro.

Economistas também esperam que o Fed eleve os juros paulatinamente até o fim do ano, com uma alta em dezembro para encerrar 2022 entre 1,25% e 1,5% ao ano.

Além disso, "os comentários do presidente Powell no início desta semana deixaram claro que a liderança do Fed está aberta a um ritmo mais agressivo de aperto". O Goldman disse que continua esperando três altas em 2023 e que o Fed atinja a mesma taxa terminal de 2,5-2,75% em 2024.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.