Golpista dos 4,9 bilhões no Société é preso

Suspeito de ser o responsável pela maior fraude bancária da história, o trader do banco francês Société Générale Jérôme Kerviel, 31 anos, foi detido ontem para interrogatório pela Brigada Financeira, um segmento da polícia francesa, para explicar como conseguiu burlar o sistema de segurança bancário da França e agravar a instabilidade financeira global. "Ele se apresentou de forma espontânea, colabora e está disposto a explicar-se", disse Jean-Michel Aldbert, chefe da seção de fiscalização financeira da polícia francesa. O Ministério Público ordenou à Brigada Financeira que abra uma investigação por suspeitas de corrupção, abuso de confiança, falsidade, cumplicidade e receptação. Na sexta-feira, investigadores estiveram no apartamento de Kerviel, em Paris, e levaram do local maletas de documentos cujo conteúdo não foi divulgado. Quando da ação policial, Kerviel não foi localizado. Também na sexta-feira, inspetores da Brigada Financeira estiveram na sede do banco, perto de Paris. Arquivos de computador e documentos, definidos como "peças úteis à investigação" foram fornecidos pela direção do banco para auxiliar na investigação.O Ministério Público de Paris também pediu prudência à imprensa, que desde o anúncio das irregularidades se apressa a divulgar o nome do jovem, mesmo antes da abertura do inquérito. Um porta-voz da Brigada Financeira disse que todas as informações que levam às suspeitas contra o jovem partiram do Société Générale e necessitam de averiguação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.