Golpista francês depõe e pode ser solto hoje

Pode ser solto hoje à tarde o operador de mercados Jérôme Kerviel, de 31 anos, acusado de ser responsável pelo maior golpe da história financeira mundial, segundo informou a polícia francesa. O operador movimentou mais de 50 bilhões em contratos futuros de índices europeus e causou um rombo de 4,9 bilhões nos cofres do Société Générale, terceiro maior banco da França.Kerviel foi detido, para interrogatório, no início da tarde de sábado e conduzido a um comissariado de polícia situado na Rua Château-des-Rentiers, no 13º distrito de Paris. O chefe da seção financeira da Promotoria de Paris, Jean-Michel Aldebert, define o andamento das investigações como ?extremamente frutífero? e diz que Kerviel está cooperando.O Société Générale detalhou ontem como Kerviel burlou os sistemas de segurança do banco e aplicou o golpe. Segundo a instituição, o negociador se apropriou de senhas de computadores, falsificou documentos e usou outros métodos fraudulentos para encobrir seus passos. O banco ainda reiterou as declarações do chefe da unidade de investimentos, Jean-Pierre Mustier, dizendo que Kerviel não tirou proveito pessoal das operações e agiu sozinho. Entretanto, em conversa telefônica com jornalistas, Mustier recuou e disse já não ter certeza completa sobre isso.Já os advogados de Kerviel acusam o Société Générale de usar o caso como ?cortina de fumaça? para desviar a atenção pública para perdas mais importantes, acumuladas nos últimos meses. As informações são de agências internacionais e do jornal O Estado de S. Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.