finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Google anuncia nova versão do Glass, seus óculos inteligentes

Empresa convidou cerca de 10 mil pessoas a comprar o protótipo atualizado; produto deve chegar às lojas em 2014

Bruno Capelas, O Estado de S.Paulo

30 de outubro de 2013 | 02h20

O Google Glass, óculos inteligentes desenvolvidos pela gigante norte-americana de buscas na internet, está cada vez mais perto de chegar ao mercado. A prova vem da oferta feita pela empresa a 10 mil pessoas para a compra de uma versão atualizada do Glass antes da chegada do dispositivo a um público maior, o que deve acontecer apenas em 2014.

Por meio da página do Glass no Google +, a empresa divulgou que uma nova versão dos óculos está pronta para chegar ao mercado. Os donos de antigos protótipos do Glass, chamados pela empresa de Explorers, poderão convidar três amigos para comprar a nova versão, além de trocar seus aparelhos pelos novos modelos sem precisar pagar a mais por isso.

O Google não divulgou quais serão as inovações no novo modelo de seus óculos inteligentes, que devem chegar ao mercado custando entre US$ 300 e US$ 500 - certamente bem menos que os US$ 1.500 cobrados pela empresa aos usuários que primeiro adotaram o Glass. Entretanto, os óculos inteligentes não são o único aparelho "vestível" que o Google deve lançar nos próximos meses.

Relógio. De acordo com o que reportou o Wall Street Journal, o relógio inteligente, ou "smartwatch", do Google está em suas últimas etapas de desenvolvimento e a empresa já está em negociações com seus fornecedores na Ásia para começar a produção em massa do produto, disse uma pessoa familiarizada com o assunto.

O relógio do Google deve operar com o sistema operacional Android e será integrado ao Google Now, assistente pessoal inteligente da empresa que pode responder a perguntas, fazer sugestões e prever necessidades do usuário com base nas suas atividades.

O Google também está trabalhando para reduzir o consumo de energia do relógio de modo que não será necessário recarregar a bateria frequentemente, afirmou a fonte do WSJ.

Outro sinal de que o Google estaria próximo de lançar seu relógio é a compra da fabricante WIMM Labs, especializada em relógios inteligentes, há cerca de dois meses.

A ideia é superar o Galaxy Gear, "smartwatch" lançado pela Samsung em setembro e bastante criticado pela baixa duração de sua bateria, funcionalidade limitada e falta de compatibilidade com dispositivos que não sejam os fabricados pela marca sul-coreana.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.