Peter Foley/Efe
Peter Foley/Efe

Google anuncia troca de presidente

Larry Page, cofundador da empresa, ao lado de Sergey Brin, vai assumir o lugar de Eric Schmidt, que está no cargo há uma década

Gustavo Chacra, O Estado de S.Paulo

21 de janeiro de 2011 | 00h00

No mesmo dia em que publicou resultados trimestrais acima do esperado, o Google anunciou ontem a troca no comando da empresa. Eric Schmidt, presidente executivo (CEO) há uma década, deixará o cargo. Em seu lugar, entrará Larry Page, um dos fundadores da gigante de tecnologia.

A decisão foi tomada em conjunto pelo triunvirato que, além dos dois, inclui também Sergey Brin, outro fundador do site de buscas. Na época da contratação de Schmidt, dez anos atrás, Page e Brin tinham apenas 27 anos. Hoje, na avaliação de analistas, eles estão preparados para liderar a empresa. Especialmente em um universo onde Mark Zuckerberg, do Facebook, tem apenas 26.

Fora do comando do dia a dia da empresa, Schmidt assumirá o posto de presidente do conselho de administração da companhia. "Eu me focarei mais onde posso agregar o maior valor - externamente, em acordos de parceria, clientes, relações comerciais, governo e tecnologia", disse Schmidt, que seguirá como conselheiro de Brin e Page. Pessoas próximas a ele afirmam que o executivo estava desgastado com o cargo.

Segundo o comunicado assinado por Schmidt e publicado no blog oficial do Google, Page, "em seu novo cargo, irá mesclar a tecnologia do Google com a sua brilhante visão". A mudança deve ser efetivada no dia 4 de abril. Brin, de acordo com o executivo, permanecerá sendo descrito como "fundador", se concentrando em "projetos estratégicos".

Schmidt, um engenheiro de 55 anos, assumiu o Google em 2001, quando a empresa era ainda apenas um site de buscas. Os dois fundadores, na época muito jovens, queriam um administrador profissional para presidir a companhia.

No período em que Schmidt esteve à frente da companhia, o Google se transformou em uma das gigantes da tecnologia, ao lado da Microsoft e da Apple, com 24 mil funcionários ao redor do mundo. Entre seus negócios, estão o site de vídeos YouTube, o Gmail e o sistema operacional Android para celulares, que ampliou a presença da empresa para a área de telefonia.

Facebook. A decisão de mudar o comando, segundo analistas, tem por objetivo colocar alguém da área de tecnologia para poder rivalizar com o Facebook. O site de relacionamentos de Mark Zuckerberg, aos poucos, se torna uma sombra no caminho do Google. Apesar de todo o sucesso em diversas áreas, a empresa enfrenta dificuldades para se consolidar na área de sites de relacionamentos. O Orkut, lançado antes do Facebook, nunca emplacou nos Estados Unidos, apesar de sua popularidade no Brasil e na Índia. O Buzz, lançado há quase um ano, é considerado um fracasso.

Apesar dos reveses nesta área, o Google ainda domina o mercado de publicidade na internet. O Facebook, mesmo com mais de 500 milhões de usuários, não conseguiu ainda estruturar um mecanismo para competir com o Google.

Antes do anúncio da mudança no comando da empresa, o Google anunciou um lucro líquido de US$ 2,54 bilhões no quarto trimestre do ano passado (US$ 7,81 por ação), após lucro de US$ 1,97 bilhão no mesmo período de 2009 (US$ 6,13 por ação). A receita da companhia alcançou US$ 8,44 bilhões no trimestre período, com crescimento de 26% em relação ao mesmo período de 2009. Os números superaram as estimativas mais otimistas de investidores em Wall Street. As ações tiveram uma alta de 2% na Bolsa de Valores de Nova York.

Nesta semana, o mercado de tecnologia já havia sofrido outra notícia de impacto. De forma inesperada, o fundador e presidente da Apple, Steve Jobs, anunciou que deixaria a empresa para cuidar da saúde. Sobrevivente de um câncer no pâncreas, ele também sofre complicações de um transplante de fígado. Diferentemente de janeiro de 2009, quando o executivo afirmou que retornaria em seis meses, desta vez não foi estipulada data.

PARA LEMBRAR

Grupo nasceu como projeto de pesquisa

O Google começou em 1996, em meio a um projeto de pesquisa de Larry Page e Sergey Brin, então estudantes na Universidade Stanford, nos Estados Unidos. Formalmente, porém, a empresa só foi criada em setembro de 1998, após um financiamento de US$ 100 mil de Andy Bechtolsheim, cofundador da Sun Microsystems. Em agosto de 2004, já como uma das maiores empresas de tecnologia do mundo, o Google abriu seu capital, conseguindo levantar US$ 1,67 bilhão com a venda de ações na Bolsa. A operação deu à companhia um valor de mercado de US$ 23 bilhões, colocando seus fundadores entre os homens mais ricos do mundo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.