Google apresenta o primeiro carro sem direção

Google apresenta o primeiro carro sem direção

Gigante tecnológico vai colocar 100 protótipos em circulação até o ano que vem e anuncia que fará parcerias com fabricantes para produção em larga escala

Associated Press,

28 de maio de 2014 | 09h31

LOS ANGELES - Google vai construir um carro sem um volante. Ele não precisará do instrumento pois será capaz de andar sozinho, guiando pelos mapas digitais e seguindo comandos eletrônicos com o auxílio de sensores.

O modelo de dois lugares não será vendido ao público, mas o Google informou que deverá colocar 100 protótipos em circulação até o ano que vem.

A velocidade máxima dos carros é de 40 quilômetros por hora.O carro do Google é um passo natural após as experiências com o Lexus e o Toyota Prius equipados com sensores e computadores por centenas de milhares de quilômetros na Califórnia nos últimos meses.

O carro não tem freio e nem pedais, mas botões de andar e parar. Ele pode receber um comando de emergência que elimina o piloto automático e permite ao passageiros assumir a direção.

"É como pegar um teleférico, em um passeio meio solitário mas muito agradável", comparou o co-fundador do Google, Sergey Brin, em uma conferência de tecnologia na Califórnia.

 

O carro tem motor elétrico e design em forma de bolha, e deve ser usado em espaços corporativos, podendo se tornar especialmente atrativo para deslocamentos em centros urbanos congestionados.

É improvável que o Google entre na produção dos veículos. Ao contrário, a empresa ressaltou que dará ênfase a parcerias com empresas especializadas no setor automotivo.

O maior obstáculo para o carro sem direção pode ser a lei. Versões de testes terão um volante e pedais, por exigência dos termos da regulamentação da Califórnia.

 

O Google espera construir os 100 protótipos no final deste ano ou início do próximo e usá-los em um programa piloto, disse a porta-voz Courtney Hohne.

Enquanto isso, até o final deste ano o Departamento de Veículos Motorizados da Califórnia deve preparar os regulamentos para o uso operacional de carros verdadeiramente sem motoristas.

 

As autoridades do trânsito estudavam a questão pensando a longo prazo, mas o Google apresentou a novidade antes do esperado.

"Precisamos ter certeza de que os regulamentos garantam a segurança, mas sem impedir o progresso", disse Bernard Soriano, do departamento de direção sem motorista do Departamento de Veículos Motorizados da Califórnia.

Tudo o que sabemos sobre:
Google

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.