Google conecta a televisão à internet

Empresa anuncia Google TV, em parceria com a Sony, a Intel e a Logitech

SAN FRANCISCO, O Estado de S.Paulo

21 de maio de 2010 | 00h00

O Google lançou ontem a Google TV, sistema desenvolvido em parceria com a Sony, a Intel e a Logitech que permite surfar na internet na tela da televisão. O presidente da Intel, Paul Otellini, previu que a tecnologia de TV inteligente será a "maior evolução da TV desde as cores".

O gerente de produto do Google, Rishi Chandra, disse que o objetivo é ter o mesmo impacto na televisão que o smartphone teve no mercado de celulares.

A Sony fabricará televisores e leitores de BluRay já equipados com o sistema Google TV, e a Logitech produzirá conversores - ou seja, será possível usar os recursos da navegação na internet também nas TVs que já estão nas casas das pessoas.

Esses aparelhos poderão ser ligados à banda larga, para surfar na rede com o navegador Chrome, do Google. Eles também virão com o sistema operacional Android, também do Google, usado atualmente em celulares. Com isso, os programas desenvolvidos para o Android funcionarão também nos televisores.

Outras empresas já tentaram vender TVs que se conectam à internet na última década, sem sucesso. "Já vi esse filme", disse o analista Ray Valdes, da consultoria Gartner. "Eles estão tomando uma estrada marcada por iniciativas fracassadas como essa."

Mas o Google e seus parceiros acreditam que desenvolveram um sistema de internet na TV mais simples e mais atraente. Eles esperam que vários sites desenvolvam aplicações de notícias desenhadas para rodar no sistema.

Os aparelhos com o sistema Google TV chegarão ao mercado americano no segundo semestre, na rede de varejo Best Buy. O lançamento internacional deve acontecer no ano que vem. Não foram divulgados os preços.

Presença. Muitos lares americanos já têm televisores que se conectam à internet. Os aparelhos com conexão à web devem representar 19% das vendas de telas planas nos Estados Unidos este ano, e essa participação deve chegar a 46% em 2013, segundo a ABI Research.

Três dos maiores rivais do Google - Apple, Microsoft e Yahoo - também têm tentado levar vídeos e serviços da internet a televisores. O presidente da Apple, Steve Jobs, já descreveu a Apple TV, seu equipamento para conectar a televisão à internet, porém, como um "hobby". O analista James McQuivey, da Forrester Research, espera que a Apple se esforce muito mais nessa área agora que o Google está se expandindo para a TV. "O objetivo do Google é se tornar o sistema operacional para a sala de estar, e garantir que a Apple não irá se tornar", disse McQuivey.

O Google, que tirou a maior parte de seu faturamento de US$ 24 bilhões em 2009 de anúncios pela internet, quer transformar os TVs em monitores gigantes para surfar na internet e fazer mais dinheiro. A companhia estima que a televisão responde anualmente por US$ 70 bilhões em publicidade somente nos EUA. O Google tentou vender anúncios para a programação tradicional de TV nos últimos três anos, mas os resultados foram pouco representativos até agora. / AGÊNCIAS INTERNACIONAIS

PARA ENTENDER

Sistema abre novas possibilidades

O novo serviço do Google competirá no movimentado mercado de dispositivos que permitem o acesso a serviços de internet pela TV, como TiVo, Boxee, Roku, Apple TV e Vudu. Com o novo sistema, o usuário poderá buscar o conteúdo que quiser assistir e o programa indicará como fazer isso, seja por meio de um canal convencional da TV ou por um site.

O Google TV deve permitir, entre outras coisas, que o usuário assista a um programa na televisão ao mesmo tempo em que participa na tela de um fórum de discussão em uma rede social, ou programa a gravação de conteúdos. O sistema também dará a possibilidade ao usuário de, por exemplo, efetuar compras pela internet.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.