Google lança balão para acessar internet

Empresa iniciou testes na Nova Zelândia e quer 'conectar pessoas em áreas rurais e remotas e ajudar a preencher lacunas de cobertura'

O Estado de S.Paulo

16 de junho de 2013 | 02h09

O Google está prestes a conquistar a estratosfera. A empresa anunciou o lançamento de 30 balões de alta tecnologia para levar o acesso à internet a locais em que as pessoas ainda não estão conectadas.

Os balões têm 15 metros de diâmetro e voam a uma altitude de 20 quilômetros. Os primeiros estão sendo enviados para a Ilha Sul, na Nova Zelândia, este mês. A empresa disse que os balões foram projetados para "conectar pessoas em áreas rurais e remotas, ajudar a preencher lacunas de cobertura e fazer com que elas possam ficar online mesmo após desastres".

A iniciativa está sendo chamada de "Project Loon". No blog oficial do Google, Mike Cassidy, diretor do projeto, diz que a empresa acredita ser possível construir anéis de balões, ao redor do mundo, que voem com a ajuda de ventos estratosféricos e, de lá, transmitam internet a essas áreas remotas. "(O projeto) está bem no início, mas nós construímos um sistema em que os balões, carregados pelos ventos em altitudes duas vezes superior à dos aviões comerciais, possam transmitir internet para a superfície a velocidades similares às das redes 3G de hoje ou mais rápido."

Mas especialistas alertam para a dificuldade de manter milhares de balões viajando livremente na estratosfera. Um dos principais desafios é garantir que os equipamentos estejam no lugar correto. "Nós temos de coreografar um balé inteiro dessa frota, e isso requer uma ciência da computação impressionante e muita potência computacional", disse Richard DeVaul, responsável pela arquitetura técnica no Google X, a divisão por trás do projeto.

O "Loon" (louco, em inglês) no nome do projeto faz alusão à ambição da iniciativa. "Pode soar um pouco louco, mas há uma sólida ciência por trás", diz Cassidy./ AGÊNCIAS INTERNACIONAIS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.