Governo abre possibilidade de usar saldo do FGTS em ações

O governo abriu a possibilidade de permitir que os trabalhadores invistam de 10% a 20% de do seu saldo no Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) no mercado de ações. Essa proposta foi discutida na tarde desta terça-feira em uma reunião do ministro do Trabalho, Luiz Marinho, com representantes das centrais sindicais.A proposta não conta com a concordância de todas as centrais. Ela é defendida pela Força sindical e pela CGT. Mas conta com a oposição da CUT. Ficou acertado no encontro de hoje que as centrais buscarão um entendimento entre elas até a próxima segunda-feira, quando terão um novo encontro com Marinho. Se as centrais conseguirem chegar a um acordo, a proposta poderá ser levada ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva.Marinho explicou que a decisão final sobre alterações no uso do FGTS caberá ao Congresso. Porém, considera importante um entendimento com as centrais sindicais porque elas também pressionam o Legislativo.O presidente da CGT, Canindé Pegado, disse que se o governo concordar em autorizar o investimento em ações, a Central retirará seu nome da ação direta de inconstitucionalidade impetrada no Supremo Tribunal Federal (STF) contra a MP que autoriza o uso do FGTS em fundos de investimento em infra-estrutura.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.