Governo acha que atende parte das queixas da CUT

O ministro do Trabalho, Ricardo Berzoini, encarou com naturalidade a manifestação promovida hoje pela CUT nas principais capitais do País para cobrar mudanças na política econômica do governo. "Fico até feliz de poder divulgar informações positivas como essa (crescimento das contratações formais) num dia em que uma central sindical está promovendo manifestações. Isso mostra que aquilo que está sendo reivindicado está sendo, em parte, viabilizado pela política do governo", afirmou.Para ele, a cobrança por aperfeiçoamentos da política econômica é um papel do movimento sindical. "Acredito que CUT, Força Sindical e outras centrais desejam que o Brasil retome o caminho do crescimento, assim como o governo está trabalhando para isso", afirmou. O ministro disse que pode "trabalhar com a expectativa de crescimento do Produto Interno Bruto de 4% sem nenhum medo de errar".Ele destacou ainda que o cenário econômico também é favorável no mercado financeiro com a absorção pelo mercado de fatores negativos como o petróleo e a alta da taxa de juros norte-americana. "O mercado assimilou e traz hoje o dólar para o patamar de R$ 3 e os juros futuros com boas perspectivas em função do risco Brasil. Acredito que estamos na trajetória positiva para a sustentabilidade do crescimento", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.