Governo adia investigação de compra de náilon da Ásia

O governo decidiu prorrogar por até seis meses, a partir de 9 de julho próximo, o prazo para a conclusão da investigação de prática de dumping nas exportações para o Brasil de fios têxteis de filamentos contínuos de náilon oriundos da China, Coreia do Sul, Tailândia e Taipé Chinês. A decisão está presente na Circular nº 28, de sexta-feira, 7, mas publicada na edição desta segunda, 10, do Diário Oficial da União. A circular é assinada pela secretária de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Tatiana Prazeres.

AYR ALISKI, Agencia Estado

10 de junho de 2013 | 20h57

O texto cita que foi decidido "prorrogar por até seis meses, a partir de 9 de julho de 2013, o prazo para conclusão da investigação de prática de dumping, de dano à indústria doméstica e de relação causal entre esses, nas exportações para o Brasil de fios têxteis de filamentos contínuos de náilon (poliamida 6, poliamida 6,6), de título inferior a 50 tex, qualquer número de filamento, perfil ou maticidade (brilhante, opaco ou semi-opaco), lisos ou texturizados, sem torção ou com torção inferior a 50 voltas por metro, tintos, crus ou branqueados, excluídos os fios de alta tenacidade, comumente classificadas nos itens 5402.31.11, 5402.31.19 e 5402.45.20 da Nomenclatura Comum do Mercosul - NCM, originárias da República Popular da China, República da Coreia, Reino da Tailândia e Taipé Chinês, iniciada por intermédio da Circular Secex nº 32, de 6 de julho de 2012".

Tudo o que sabemos sobre:
têxteisinvestigaçãoprorrogação

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.