Governo adia leilão de energia nova de maio para junho

O ministro de Minas e Energia, Silas Rondeau, informou nesta quarta-feira, 14, que os dois leilões de energia nova marcados para maio deste ano serão adiados para junho. Ele ressaltou, no entanto, que um terceiro leilão, também marcado para maio e de energia de forças alternativas, permanecerá agendado para o dia 24 de maio.Segundo o ministro, o adiamento dará mais tempo para que a Empresa de Pesquisa Energética (EPE) possa analisar os projetos inscritos. Os dois leilões são do tipo A-3 e A-5, ou seja, para entrega daqui a três e cinco anos, respectivamente.Rondeau também afirmou que o governo pretende leiloar entre junho e julho a concessão para construção e operação do projeto da Usina Hidrelétrica de Santo Antônio, em Rondônia, com mais de 3 mil megawatts (MW). A hidrelétrica é um dos dois projetos que compõem o complexo do rio Madeira, que com a hidrelétrica de Jirau, que deverá ser leiloada no próximo ano, terá capacidade total de 6.450 MW. Rondeau reiterou que recebeu do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama a previsão de que a licença ambiental prévia do complexo do Madeira poderá sair até amanhã. Ele também reafirmou que as usinas do Madeira serão leiloadas separadamente e não com outros leilões de energia nova. O ministro participa de audiência pública na Comissão de Minas e Energia da Câmara para discutir medidas para o setor energético, previstas no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.