Governo adia leilão do trem-bala por pelo menos 1 ano

O ministro dos Transportes, César Borges, informou o adiamento "por pelo menos um ano" do leilão do Trem de Alta Velocidade (TAV), o trem-bala, para ligar Campinas, São Paulo e Rio de Janeiro. A entrega de propostas de interessados no projeto estava marcada para sexta-feira, 16, e o leilão para a escolha do operador e da tecnologia ocorreria no dia 19 de setembro.

ANNE WARTH E EDUARDO RODRIGUES, Agencia Estado

12 de agosto de 2013 | 16h37

"Não vamos determinar prazo. Não vamos fixar novas datas", afirmou o ministro a jornalistas na tarde desta segunda-feira. De acordo com Borges, o governo percebeu que o processo caminhava para que apenas um consórcio participasse da licitação, o francês. Segundo ele, alguns grupos interessados, como espanhóis e alemães, solicitaram ao governo que prorrogasse o processo para encontrar parceiros nacionais para seus consórcios.

"Depois de muitas conversas e entendimentos com os prováveis participantes, sentimos que o certame caminhava para apenas um concorrente", afirmou. "Outros prováveis participantes solicitavam o adiamento do processo para finalizar entendimentos de formação de consórcio."

Tudo o que sabemos sobre:
TAVleilão

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.