Governo adia negociações para a crise do setor aéreo

O governo adiou mais uma vez a retomada das discussões em torno de uma saída para a crise no setor aéreo. Uma reunião prevista para ocorrer hoje entre integrantes da Casa Civil, do Ministério da Fazenda e das principais empresas estatais credoras das companhias de aviação, como a Varig, foi adiada e ainda não tem nova data marcada.Um dos motivos apontados para o adiamento foi a necessidade de dar mais tempo ao novo ministro da Defesa, o vice-presidente José Alencar, para se familiarizar com os dados do setor e participar das discussões. Além disso, o alto escalão do governo concentrou esforços hoje em convencer os parlamentares da base aliada a retomar as votações no Congresso Nacional.Por outro lado, a inadimplência da Varig com a Infraero continuou hoje a ser discutida entre representantes da empresa e a diretoria de finanças da estatal. A Varig deixou de recolher este ano à empresa que administra os aeroportos brasileiros cerca de R$ 150 milhões relativas a taxas aeroportuárias.A intenção, segundo a Infraero, é finalizar uma proposta de renegociação do débito que será submetida no final deste mês ao Conselho Administrativo da empresa que se reunirá pela primeira vez sob o comando do novo ministro da Defesa, José Alencar. PressãoCom o fim das eleições municipais e a volta do Congresso Nacional aos trabalhos, poderão se intensificar as cobranças por uma definição rápida para o setor. O grupo parlamentar misto em defesa da Varig, por exemplo, marcou para amanhã uma reunião com três representantes do Conselho Curador da Fundação Ruben Berta, que controla 87% das ações da companhia aérea. Os deputados da comissão apresentaram em outubro, ao ex-ministro José Viegas, uma proposta de solução para a crise da empresa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.