bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Governo administrará a situação sem tirar coelho da cartola, diz Fraga

O presidente do Banco Central, Armínio Fraga disse que o governo brasileiro está disposto a recomprar até US$ 3 bilhões em títulos da dívida externa com vencimentos em 2003 e 2004. Segundo Fraga, vencerão US$ 3,5 bilhões em 2003 e US$ 5,5 bilhões em 2004. Ele explicou que o objeto da recompra poderá ser, inclusive, os bônus emitidos pelo governo brasileiro no mercado externo e não só papéis da dívida externa. "Eu não vejo uso mais nobre das reservas do que este", disse Fraga. Fraga deu a declaração na entrevista coletiva da equipe econômica, que começou com um pequeno atraso, pouco antes das 13 horas. Fraga disse que o governo tem condições de administrar a situação de ansiedade no mercado financeiro sem tirar "coelho da cartola". Ele disse que essa situação é transitória. Para Fraga, os fundamentos da economia não justificam essa ansiedade no mercado. Ele considera, no entanto, natural. Mais uma vez o presidente do BC reiterou seu discurso de que não acredita que o próximo presidente eleito, seja ele de qualquer partido, defenda política de irresponsabilidade fiscal e relaxamento da inflação. Fraga diz ter absoluta certeza que será preservado o ambiente de estabilidade, que é de interesse do País, e sobretudo dos mais pobres. Redução de reservaFraga disse que a redução do piso das reservas de US$ 20 bilhões para US$ 15 bilhões dá um espaço adicional para o BC intervir no mercado de câmbio. Segundo Fraga, o BC vai intervir quando achar necessário. O BC, segundo Fraga, intervirá no mercado de câmbio sempre que lhe parecer apropriado "com qualquer dos instrumentos usuais". Ele informou que poderão ser efetuados leilões de "linha externa", operações a termo nos moldes dos que já forma feitos na época do bug do milênio, de prazos que podem chegar a 60 dias. Queda nos saques dos fundosO presidente do Banco Central disse também que os saques dos fundos de investimento de renda fixa nos últimos dois dias têm sido muito pequenos. "É quase a normalidade", disse. Ele também destacou que as contas dos fundos de renda fixa têm registrado nos últimos dias uma valorização positiva na grande maioria dos fundos. Ele também comentou ter verificado estabilidade no que diz respeito ao fluxo cambial nos últimos dias em que houve turbulência no mercado. "Temos verificado muito fechamento de contratos de exportação. Isto é saudável e estabilizador", disse o presidente do BC. Ele também comentou que a saída de recursos pelas contas de não residentes no País (CC-5) também tem sido muito pequena. Sobre a demanda por hedge, Fraga disse que não tem verificado nenhum movimento anormal. Ele acredita que os agentes que já tinham feito hedge no passado simplesmente mantiveram suas posição ser ter aumentado a demanda.Sintonia finaArmínio Fraga deu uma "receita" de instrumentos que o governo poderá fazer no mercado de títulos. São os seguintes os instrumentos: continuar a troca de LFT e NTN-D de longa maturação para de menor maturação; promover troca de swaps ao longo da curva de cupons cambiais; realizar operações compromissadas curtas no mercado aberto para enxugar a liquidez e o Tesouro também poderá estabelecer um programa de recompra de títulos públicos. Segundo o presidente do BC, essa atuação será "uma sintonia fina" para dar liquidez ao mercado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.