Governo alemão deve decidir pacote contra a crise na segunda

A mídia alemã informa que o governo trabalha com a idéia de uma operação de resgate semelhante à britânica

AP-Reuters,

11 de outubro de 2008 | 13h35

Um representante do governo alemão afirmou que o gabinete de ministros da chanceler Angela Merkel vai se reunir na segunda-feira, 13, para definir um pacote de resgate para o setor financeiro do país.   Veja também: Sarkozy rejeita fundo europeu de resgate financeiro G7: 'todos os meios' contra a crise Bolsa cai 20% em semana de pânico  Como o mundo reage à crise  Confira as medidas já anunciadas pelo BC contra a crise Entenda a disparada do dólar e seus efeitos Especialistas dão dicas de como agir no meio da crise A cronologia da crise financeira    O representante fairmou neste sábado,11, que a reunião começará ao meio-dia de segunda. Ele falou sob a condição de não ser identificado, pois não estava autorizado a manifestar-se sobre a questão.   A mídia alemã informa que o governo trabalha em um resgate ao estilo do adotado pelo Reino Unido, e que o gabiente deverá aprovar o plano. Mas o governo apenas diz que tem o dever de examinar todas as "opções concebíveis".   Merkel evitou comentar a questão, dizendo apenas que "haverá mais detalhes na segunda-feira". O Estado alemão já ajudou no resgate de uma instituição e prometeu garantir todas as contas bancárias, mas ainda não ofereceu um programa amplo de resgate do setor.   O governo britânico já anunciou uma injeção de 50 bilhões de libras (US$ 87 bilhões) em recursos emergenciais para os bancos do país que foram afetados pela crise financeira global.   O ministro de Finanças, Alistair Darling, anunciou na quarta-feira, 8, algumas medidas que, segundo ele, irão ajudar a impulsionar os financiamentos e restaurar a confiança.   "O programa é desenhado para restaurar a confiança e fé no sistema financeiro", afirmou o primeiro-ministro britânico Gordon Brown.

Tudo o que sabemos sobre:
crise financeira

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.