Governo alemão limita ajuda a US$ 13 bi por instituição

Lei também estabelece teto de 500 mil euros por ano (US$ 670,7 mil) para os salários de executivos

Gustavo Nicoletta, da Agência Estado,

20 de outubro de 2008 | 10h24

O governo alemão aprovou as regras para que as companhias do setor financeiro utilizem os recursos de um pacote de resgate de 500 bilhões de euros (cerca de US$ 671 bilhões) aprovado na última sexta-feira. Entre os termos, que passam a vigorar imediatamente, estão limites para a recapitalização, para a cobertura de passivos e para os salários de executivos.   Veja também: Consultor responde a dúvidas sobre crise   Crise pode trazer executivos brasileiros de volta ao País Como o mundo reage à crise  Entenda a disparada do dólar e seus efeitos Especialistas dão dicas de como agir no meio da crise A cronologia da crise financeira  Dicionário da crise     Cada companhia financeira poderá receber no máximo 10 bilhões de euros (cerca de US$ 13,4 bilhões) para fins de recapitalização e o governo alemão assumirá até 5 bilhões de euros (US$ 6,7 bilhões) em passivos de cada instituição. O governo poderá vender participações e quaisquer outros ativos adquiridos como parte da recapitalização, levando em consideração as condições de mercado.   A lei também estabelece um teto de 500 mil euros por ano (US$ 670,7 mil) para os salários de executivos e pede uma remuneração "adequada" para gerentes. As companhias que aceitarem os recursos do governo não terão permissão para pagar bônus ou dividendos.   As garantias oferecidas pelo pacote devem durar no máximo até 31 de dezembro de 2012, enquanto o prazo de vencimento dos passivos amparados pelo governo será limitado a 36 meses. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Crise nos EUAcrise financeiraAlemanha

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.