Governo alongará financiamento do café

O governo alongará por 12 anos o prazo dos financiamentos para a colheita de café, contratados após o dia 23 de junho de 2001. As estimativas são que esses financiamentos somem R$ 44 milhões. "Esse montante ficou fora da renegociação da dívida, mas agora os produtores que adquiriram esses empréstimos também terão os débitos alongados por 12 anos", afirma o secretário de Produção e Comercialização do Ministério da Agricultura, Pedro de Camargo Neto. Ele esclarece que a proposta de alongamento da dívida será apresentada na próxima reunião do Conselho Monetário Nacional (CMN), nesta quinta-feira, e que o voto deve ser aprovado. Os cafeicultores estiveram reunidos hoje no final da manhã com o presidente Fernando Henrique Cardoso. Também participaram da audiência os ministros da Agricultura, Pratini de Moraes, da Fazenda, Pedro Malan e da Casa Civil, Pedro Parente. O presidente da Comissão Nacional de Café da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), João Roberto Puliti, também participou do encontro, além de alguns deputados, entre eles Aécio Neves. Segundo o secretário Camargo Neto, o setor apresentou ao presidente Fernando Henrique um estudo sobre a crise pela qual passa a cafeicultura. Entre as medidas propostas pelos cafeicultores para alavancar o setor, afirma, foram solicitadas a reestruturação do Conselho Deliberativo de Política do Café (CDPC) e a reestruturação da liberação dos recursos do Funcafé. "Não sei se o governo apresentará mais algum voto relacionado ao café na reunião de quinta-feira do conselho", completa. Camargo Neto afirma não saber se, mesmo o alongamento da dívida, os produtores farão o protesto marcado para amanhã nas principais regiões produtoras de café do País.

Agencia Estado,

23 de julho de 2002 | 16h41

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.