Nilton Fukuda/Estadão
Nilton Fukuda/Estadão

Governo antecipa limite de R$ 1,5 mi para financiamento de imóveis

Novo teto para o financiamento de imóveis com recursos do FGTS passa a vigorar nesta terça-feira; prazo original era em 1º de janeiro de 2019

Eduardo Rodrigues e Idiana Tomazelli, O Estado de S.Paulo

29 de outubro de 2018 | 18h40

BRASÍLIA - O Conselho Monetário Nacional (CMN) decidiu antecipar a vigência do teto de R$ 1,5 milhão para o financiamento de imóveis com recursos do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). De acordo com a decisão original de julho deste ano, o novo limite, aplicado para o Sistema Financeiro da Habitação (SFH), entraria em vigor apenas em 1º de janeiro de 2019.

O CMN, formado pelo presidente do Banco Central e pelos ministro da Fazenda e do Planejamento, decidiu implementar o novo limite de forma imediata “diante do fato de o novo valor não implicar na necessidade de ajustes substanciais nos sistemas internos das instituições financeiras, diferentemente das demais alterações introduzidas pela referida resolução (de julho)”.

Atualmente, o limite para essas operações é de R$ 950 mil. A antecipação já havia sido cogitada pelo governo e era uma demanda da indústria da construção civil como forma de estimular o setor ainda neste ano.

Cartão de crédito

O CMN decidiu também nesta segunda-feira autorizar que as instituições financeiras reduzam mais rapidamente o limite do cartão de crédito de clientes que tenham uma deterioração de perfil de risco. Atualmente, os bancos precisavam respeitar um prazo de 30 dias entre o aviso aos clientes e a efetiva redução do limite do cartão.

Agora, a comunicação deve ocorrer apenas antes da redução do limite. “A regra anterior propiciava a expansão do endividamento além da efetiva capacidade de pagamento do cliente”, explicou o Banco Central.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.