Governo anuncia medidas contra alta de alimentos em junho

Lula se reúne com Dilma e Stephanes para avaliar produção e consumo de alimentos no País e no mundo

Fabíola Salvador, da Agência Estado,

21 de maio de 2008 | 11h36

No despacho desta quarta-feira, 21, no Palácio do Planalto, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e os ministros da Agricultura, Reinhold Stephanes, e da Casa Civil, Dilma Roussef, farão uma ampla avaliação do panorama brasileiro e mundial da produção e consumo de alimentos, que está pressionando a inflação lá fora e no Brasil, mas a reunião não deve ser conclusiva. O anúncio é de Stephanes. Veja também:Entenda a crise dos alimentos Entenda os principais índices de inflação   Segundo ele, o governo trabalha em três frentes para estimular a produção de grãos na safra que começa a ser plantada em meados de setembro: garantia de preço ao produtor, aumento do volume de crédito e adoção de uma política de seguro rural. As medidas serão anunciadas no Plano de Safra, a ser lançado no final de junho. A médio e longo prazos, a idéia do governo, de acordo com o ministro da Agricultura, é adotar medidas que reduzam os custos de produção, principalmente nas áreas de infra-estrutura e logística, além de trabalhar na redução dos preços dos adubos e defensivos no mercado interno. "Queremos adotar medidas que possam elevar a produção brasileira e garantir os excedentes de exportação" sublinhou Stephanes. Reafirmou que a disposição do governo é estimular a oferta de "produtos sensíveis", como feijão, arroz, trigo e milho.

Tudo o que sabemos sobre:
InflaçãoAlimentos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.