Governo anuncia medidas para limitar apreciação do real

O ministro da Fazenda, Guido Mantega,divulgou nesta quarta-feira medidas destinadas a reduzir ofluxo de dólares para o país e a limitar a apreciação do realante a moeda norte-americana. O governo decidiu suspender a cobrança de IOF (Impostosobre Operações Financeiras) sobre as operações de câmbiofeitas pelos exportadores. Outra ação foi a suspensão da obrigatoriedade dosexportadores de trazerem para o país parte dos dólares geradosnas vendas externas. As empresas exportadoras poderão manter esses dólares emcontas no exterior. A terceira medida foi determinar a incidência do IOF nasaplicações de investidores estrangeiros em renda fixa e emtítulos públicos, com alíquota de 1,5 por cento. As medidas valem a partir da próxima segunda-feira,informou Mantega. Ele ressaltou ainda que elas são as primeirasde um conjunto de medidas que visam estimular as exportações. Sobre o eventual efeito das ações sobre o câmbio, Mantegadescartou grandes movimentações. "Não espero um grande impacto (no câmbio) porque nãotomamos nenhuma medida radical", afirmou a jornalistas emBrasília. Segundo o ministro, ele ficará satisfeito se as medidasconseguirem frear um pouco a queda do dólar. "Neste momento achamos que as medidas estão de bom tamanho.Se acharmos necessário, mudamos o tamanho mais pra frente",acrescentou. Sobre os investidores estrangeiros, o ministro afirmou quehouve um benefício indireto do fim da CPMF nas aplicações emrenda fixa e títulos públicos, já que o fim da cobrança elevoua rentabilidade nessas operações. "Não precisamos manter esse privilégio... as condições derentabilidade continuam muito atraentes", afirmou. (Reportagem de Isabel Versiani; texto de Marcelo Teixeira;edição de Alexandre Caverni)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.