carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Governo argentino tem esperança de obter apoio interno

O governo argentino afirmou ter esperança de obter o apoio dos governadores rebeldes e de líderes políticos aos termos de um acordo de ajuda financeira do Fundo Monetário Internacional (FMI) que o presidente Eduardo Duhalde está buscando alcançar. "O governo quer um acordo sócio-econômico e político", disse o chefe de gabinete da Presidência, Alfredo Atanasof. "Nós estamos numa encruzilhada legislativa. A liderança política deve decidir o que quer para a nação", acrescentou.Duhalde tentará assegurar hoje o compromisso de governadores e políticos de que irão honrar as exigências de um acordo com o FMI. O presidente iniciou as negociações ontem à noite, depois que o ministro da Economia, Roberto Lavagna, retornou de Washington, onde participou de mais uma rodada de reuniões com o Fundo. Lavagna trouxe a mensagem do FMI de que a Argentina precisa do apoio dos líderes políticos do país para que um acordo seja assinado.O presidente vem enfrentando duras negociações como o FMI para a rolagem de grande parte dos vencimentos previstos para este ano. Essas negociações emperraram em meio as preocupações do Fundo com as liminares que têm permitido os argentinos burlarem o congelamento das contas bancárias, a indisposição do governo em aumentar tarifas públicas em até 30% e o apoio parcial da liderança política do país a novas medidas de austeridade.

Agencia Estado,

18 de novembro de 2002 | 16h03

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.