Governo argentino teme panelaço de amanhã

O governo argentino está preocupado com o panelaço geral convocado pelos moradores dos bairros de Buenos Aires para o início da noite amanhã. O presidente Eduardo Duhalde solicitou um relatório das autoridades policiais sobre os riscos de novos atos de violência e enfrentamento entre a polícia e os manifestantes. O governo dispõe de informações sobre a participação de grupos radicais infiltrados nos movimentos anteriores e que poderiam fazer o mesmo no panelaço desta sexta-feira.No relatório, os investigadores consideram que há infiltração de grupos de extrema direita, outros a serviço de interesses dos adversários políticos de Eduardo Duhalde, como ocorreu com Fernando de la Rúa. Uma alta fonte da Casa Rosada informou à Agência Estado que o relatório da inteligência do governo é preocupante, porque as manifestações pacíficas da população, iniciadas no dia 20 de dezembro, quando De la Rúa renunciou, são acompanhadas por estes com claros interesses políticos de desestabilizar o governo e por delinqüentes que se aproveitam da situação?, afirmou.A fonte completou que também se incluem os desempregados desesperados e famílias famintas, que são levadas ao desatino provocados pelos infiltrados. O presidente Eduardo Duhalde teme novos saques aos supermercados e lojas e destruição do comércio e bancos, além de agressões físicas.Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.