Governo atinge meta de superávit a 3 meses do final do ano

O superávit primário do setor público - arrecadação do governo menos os gastos com as autarquias municipais, estaduais, federal e as empresas estatais - foi de R$ 7,571 bilhões em setembro, atingindo R$ 86,502 bilhões no acumulado de janeiro a setembro. De acordo com os dados divulgados hoje pelo Banco Central, o superávit acumulado equivale a 6,1% do Produto Interno Bruto (PIB), bem superior à meta para este ano de 4,25% do PIB.Contudo, a economia realizada pelo setor público para o pagamento de juros não foi suficiente. O déficit nominal - arrecadação menos os gastos, incluindo o pagamento de juros - do setor público em setembro ficou em R$ 6,891 bilhões ante R$ 3,238 bilhões em agosto e R$ 5,454 bilhões em setembro do ano passado bilhões. De janeiro a setembro, o déficit nominal acumula R$ 33,647 bilhões, equivalente a 2,37% do PIB, ante R$ 25,513 bilhões, equivalentes a 1,98% do PIB, em igual período de 2004.No período de 12 meses até setembro, esse mesmo déficit acumula R$ 55,278 bilhões (2,91% do PIB) ante R$ 53,842% (2,86% do PIB) nos 12 meses acumulados até agosto. Ao longo de todo o ano passado, o déficit nominal do setor público ficou em R$ 47,144 bilhões (2,67% do PIB).Resultados acumulados do superávitO chefe do Departamento Econômico (Depec) do Banco Central (BC), Altamir Lopes, disse que o superávit primário de R$ 86,502 bilhões acumulado pelo setor público entre janeiro e setembro é o melhor para o período desde o início da série histórica em 1991. O resultado em relação ao PIB também atingiu seu melhor nível no período de janeiro a setembro deste ano e chegou aos 6,10%. O resultado primário em 12 meses até setembro de R$ 97,843 bilhões, segundo o chefe do Depec, também o melhor da série para o período. Altamir Lopes disse ainda que a meta de superávit primário do setor público neste ano foi reduzida de R$ 83,850 bilhões para R$ 82,750 bilhões. A queda, de acordo com o chefe do Depec, foi provocada por uma revisão da projeção de crescimento do PIB neste ano de 4% para 3,4%. Isso significa que, no período de janeiro a setembro, o setor público já acumulou um resultado primário R$ 3,752 bilhões maior que o novo valor da meta. ParticipaçõesO setor público é formado pelo governo central, governos regionais e empresas estatais. Neste resultado do superávit do setor público, portanto, vale destacar que o governo Central (Tesouro, Banco Central e Previdência Social) registra superávit acumulado de janeiro a setembro deste ano de R$ 53,464 bilhões (3,8% do PIB). Os governos regionais acumulam no período R$ 19,050 bilhões (1,3% do PIB) e as empresas estatais, R$ 13,988 bilhões (1% do PIB).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.