Governo aumenta gastos, afirma economista do Ipea

Ao contrário do que se tem noticiado sobre o corte no Orçamento, na verdade o governo estaria aumentando significativamente as despesas públicas este ano. Esta é a opinião do economista Fábio Giambiagi, do Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas (Ipea), durante entrevista ao programa Espaço Aberto, da Globo News. Ele explicou que a confusão ocorre porque o Congresso acaba inflando as previsões de receitas do Orçamento para incluir novas despesas. Porém, no início do ano, diante de estimativas mais realistas, o governo acaba fazendo uma nova distribuição de gastos. "Houve cortes em relação ao Orçamento que foi aprovado em dezembro, mas vai haver um aumento importante de gastos em relação ao ano passado", previu Giambiagi. "Houve corte de vento."Copo pela metadeO economista do Ipea disse que a situação atual da economia é comparável àquela do copo que está meio cheio ou meio vazio: merece críticas, mas também elogios. Entre os pontos positivos, ele cita a política do governo de redução da exposição cambial, o crescimento do PIB e a melhora da taxa de investimento. "O lado cheio pela metade faz com que, hoje, o risco de crises como as do passado diminua", afirmou Giambiagi. Por outro lado, ele critica o aumento de gastos, que acaba mantendo a carga tributária em níveis muito elevados. "O principal desafio do País é como fazer com que uma economia, que hoje está aparelhada para crescer 3% a 4% de maneira sustentada, tenha um upgrade para crescer entre 4 e 5%", prosseguiu. "Nesse sentido, as coisas não vão muito bem."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.