Governo boliviano está preocupado com exportações de gás para o Brasil, diz ministério

O secretário executivo do Ministério de Minas e Energia, Nelson Hubner, afirmou nesta terça-feira que o governo da Bolívia se mostra permanentemente preocupado com a sua necessidade de exportar gás ao mercado brasileiro. Mas até o momento, disse, a proposta de La Paz de aumento de produção está mais direcionada ao atendimento dos mercados argentino e chileno. Segundo Hubner, mesmo que a Bolívia queira aumentar suas exportações ao Brasil, esse objetivo encontrará como obstáculo a limitação da capacidade do gasoduto Brasil-Bolívia, que teria de necessariamente receber investimentos para a sua ampliação. Neste momento, ressaltou Hubner, a Petrobras não se dispõe a perfurar mais poços de gás para aumentar a produção na Bolívia e nem mesmo na ampliação do gasoduto, enquanto houver incertezas sobre o destino da empresa naquele país. No último final de semana, o governo boliviano publicou a medida que suspendeu temporariamente o confisco pelo governo local, do caixa das refinarias da Petrobrás na Bolívia. Em princípio as negociações bilaterais serão "por volta dos dias 9 e 10" de outubro, informou Hubner. A data correta não foi ainda definida.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.