Washington Costa/ Ministério da Economia
Washington Costa/ Ministério da Economia

Governo Bolsonaro indica Carlos da Costa para braço de investimentos do BID

Indicação do secretário especial da Economia faz parte da estratégia do governo de ocupar espaços em instituições financeiras no exterior e atrair investimentos para o País

Adriana Fernandes e Jussara Soares, O Estado de S.Paulo

07 de outubro de 2020 | 20h50

BRASÍLIA - O governo Jair Bolsonaro decidiu indicar o secretário especial de Produtividade, Competitividade e Emprego do Ministério da Economia, Carlos da Costa, para assumir a presidência do Bid Invest, banco de investimentos do Banco Interamericano de Investimento (BID).

Carlos da Costa já tem o aval do novo presidente do BID, Mauricio Claver-Carone, que foi eleito para o comando da instituição no mês passado com a indicação dos Estados Unidos e com o apoio de outros países, entre eles o Brasil.  A nomeação do secretário, no entanto, ainda depende de trâmites  burocráticos para ser confirmada.

Segundo uma fonte da área econômica do governo, a chegada de Carlos da Costa ao comando do Bid Invest faz parte de uma estratégia do governo Bolsonaro de ocupar espaços em instituições financeiras multilaterais e atrair investimento de infraestrutura para buscar uma integração econômica com a América Latina.

Outro exemplo dessa estratégia, segundo o interlocutor, é o ex-secretário especial de Comércio Exterior, Marcos Troyjo, que em maio assumiu a presidência do Banco do Brics, instituição financeira para desenvolvimento do grupo formado por Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul.  

Com isso, a expectativa é atrair investimentos em infraestrutura capazes de colocar o Brasil como centro industrial da América Latina. Dentro deste plano, ainda segundo o integrante do governo, está trazer o gasoduto da cidade de Vaca Muerta, na Argentina, ao Brasil. Outra iniciativa na mira do governo é a construção de uma rodovia até o Peru para facilitar o escoamento da produção de grãos do Centro-Oeste brasileiro pelo país vizinho. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.