Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Governo brinda com champanhe risco País abaixo de 400

Com um brinde de champanhe francês Cristal, que custou 100 euros e foi guardado por 18 meses, o presidente Luiz Inácio Lula da Silva vai celebrar hoje com os ministros do Desenvolvimento, Luiz Fernando Furlan, e da Fazenda, Antonio Palocci, a consolidação da taxa de risco Brasil em menos de 400 pontos.Empolgado, Furlan acertou os detalhes ontem à noite, por telefone. Em junho do ano passado, o ministro do Desenvolvimento comprara a garrafa em um aeroporto europeu para presentear Palocci, com o compromisso de a abrirem juntos quando o risco País caísse para menos de 400 pontos. Ontem, com a taxa em 388 pontos, Furlan cobrou do ministro da Fazenda. "Acho que eu já tomei o champanhe", respondeu Palocci a Furlan, antes de checar, na adega de sua casa, em Brasília. Depois, acabou confirmando ao colega que a garrafa estava intacta e sugeriu a comemoração com o presidente Lula ainda ontem à noite. Às 20h45 de ontem, Furlan conseguiu falar com Lula, mas o presidente já tinha um compromisso. "O risco País caiu para 388 e consolidou-se abaixo do limite de resistência - de 400 pontos. A Standard and Poors também reconheceu empresas brasileiras como investment grade, o que significará a redução de custos financeiros", comentou Furlan com o presidente.

Agencia Estado,

21 de dezembro de 2004 | 08h45

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.