Governo central reduz ritmo de expansão de despesas

As despesas do governo central (Tesouro Nacional, Previdência Social e Banco Central) cresceram 9,1% de janeiro a maio deste ano em relação ao mesmo período de 2010. Já as receitas totais do governo central apresentaram crescimento de 17,4% na mesma comparação. Nos cinco primeiros meses de 2010, as despesas haviam crescido 18,5% em relação ao ano anterior, em ritmo superior ao desempenho das receitas, que até então apresentavam aumento de 17,9%.

EDUARDO RODRIGUES, Agencia Estado

29 de junho de 2011 | 15h44

A redução no ritmo de expansão das despesas em 2011 pode ser explicada pelo freio nos investimentos totais do governo. Até maio deste ano, foram pagos R$ 16,9 bilhões em investimentos, com avanço de apenas 1% em relação aos cinco primeiros meses de 2010. Além disso, pelo quinto mês consecutivo o ritmo de expansão dos investimentos diminuiu. Em janeiro, a comparação com 2010 mostrava um crescimento de 85%, que caiu para 25% no primeiro bimestre, para 9% no primeiro trimestre e encerrou o quadrimestre em 5%.

Já os investimentos relacionados ao Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) chegaram a R$ 9,802 bilhões de janeiro a maio deste ano, com crescimento de 37% em relação a igual período de 2010. Até abril, essa comparação mostrava uma expansão de 39%.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.