Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Governo central tem superávit 14,9% maior até julho

Banco Central, Previdência e Tesouro somam superávit primário de R$ 47,695 bilhões, aproximando-se da meta

RENATA VERÍSSIMO E ADRIANA FERNANDES, Agencia Estado

28 de agosto de 2007 | 16h05

O governo central (Banco Central, Previdência e Tesouro) registra até julho deste ano superávit primário - receitas menos despesas, sem considerar o pagamento de juros - de R$ 47,695 bilhões, 14,9% maior que no mesmo período de 2006. O resultado equivale a 3,35% do Produto Interno Bruto (PIB) e está próximo da meta de R$ 53 bilhões prevista para todo o ano de 2007. Desse total, o Tesouro Nacional registra superávit de R$ 72,070 bilhões, a Previdência Social apresenta déficit de R$ 23,996 bilhões e o Banco Central um déficit de R$ 378,9 milhões. As receitas do governo central tiveram expansão de 13,18% no período, sendo 13,07% do Tesouro e 13,96% da Previdência. Também aumentaram as transferências da União para Estados e municípios - em 13,02%. O Tesouro destaca, em nota, que o crescimento das receitas vem ocorrendo em função do desempenho da economia, da evolução do nível de preços e da massa salarial, além da entrada de recursos por causa dos programas de parcelamentos de débitos da Receita Federal, da Procuradoria Geral da Fazenda Nacional e do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). As despesas, por sua vez, cresceram 12,87%. Segundo os dados divulgados, os gastos com pagamento de benefícios cresceram 12,19%, e, com pessoal, 13,96%. As despesas com custeio e capital subiram 13,05%. As despesas do Tesouro Nacional, segundo a nota, ocorreram em função dos gastos vinculados ao aumento do salário mínimo, como Lei Orgânica da Assistência Social (Loas) e despesas do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), como abono salarial e seguro-desemprego. Investimento A execução dos investimentos previstos no projeto piloto de investimento (PPI) atingiu em 2007, até julho, R$ 1,5 bilhão. No mesmo período do ano passado, essa despesas somavam R$ 978,8 milhões. Esses projetos são considerados prioritários pelo governo e têm liberação de verbas mais rápida.  Os investimentos totais do governo previstos no orçamento da União apresentaram crescimento de 23% nos primeiros sete meses de 2007 sobre igual intervalo de 2006, atingindo R$ 8,658 bilhões ante R$ 7,047 bilhões no exercício passado.  Julho Só no mês de julho, o superávit foi de R$ 5,052 bilhões. O resultado é pouco menor do que o do mês de junho deste ano, quando atingiu R$ 5,188 bilhões. Na composição do resultado de julho, o Tesouro registrou um superávit de R$ 8,342 bilhões, enquanto que a Previdência Social teve um déficit de R$ 3,212 bilhões. O BC também registrou déficit - de R$ 77,1 milhões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.